GALPÃO DAS ARTES

 

 Apresentação:

O projeto GALPÃO DAS ARTES nasceu após pesquisa na área de educação ambiental, arte educação e arte terapia.

 GALPÃO DAS ARTES faz parte de uma Dissertação de Mestrado,  em andamento, na Universidade Federal Fluminense, na Cidade do Rio de Janeiro, Brasil, UFF/LATEC: Mestrado Profissional em Sistemas de Gestão.

PAINEL ELABORADO NO WORK-SHOP DO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE EM 2002 , na PLANTA SANTA CRUZ da PAN-AMERICANA INDÚSTRIAS QUÍMICAS  S.A.         

Esta baseada na continuação de uma pesquisa que começa em 1994, e vai se consolidando a partir do Curso de Apoio à Técnicos em Fito-terapia em 1997, e que teve como publico alvo jovens hipossuficientes (favelados) moradores do bairro de Vila Isabel, e mais tarde 1999/2000 com o apoio da Fundação São Martinho, que desenvolveu sua proposta dentro do Centro de Triagem da Fundação ( ainda com meninos de rua não socializados ) , na sua Casa da Rua Francisco Muratori (já com meninos socializados) e também na sua Gráfica ( com estagiários de tipografia, já socializados). Nos dois primeiros casos, foi dada ênfase no processo de arte terapia e utilizado um público de faixa etária entre  7 a18 anos.A faixa etária escolhida para o estudo de caso á época foi 14 a 17 anos. 

O projeto GALPÃO DAS ARTES não tem limite de idade nem de profissão.     

TREINAMENTO DE EDUCAÇÃO E ÉTICA AMBIENTAL NO GALPÃO DAS ARTES DA PLANTA HONÓRIO GURGEL DA PAN-AMERICANA INDUSTRIAS QUÍMICAS

GALPÃO DAS ARTES é um projeto aberto à funcionários e comunidades vizinhas. É uma proposta na qual o Homem passa a se integrar à natureza a partir do seu habitat de trabalho. A principio é direcionado ao publico de Industrias Químicas, mas é um projeto extensivo a toda e qualquer Industria e/ou comunidade que queira entender o Meio Ambiente e a Ecologia através de praticas de Educação Ambiental e noções de segurança do trabalho , responsabilidade civil e social.  

  

     GALPÃO DAS ARTES não é sob hipótese    alguma um projeto focado tão somente  às Empresas Certificadas pela ISO 14000, pelo contrario ele pretende atingir as Empresas e comunidades que ainda desconhecem o papel da Educação Ambiental na Sociedade ou nos seus habitat primários.   

 

Esta metodologia para o ensino de Educação Ambiental visa solucionar os problemas cotidianos gerados no meio Ambiente imediato ou mediato ao local onde implantado o PROJETO GALPÃO DAS ARTES.  

 Após ampla pesquisa do significado do ensino não-formal a nível nacional e internacional e de seu amparo e amplitude dentro da sociedade brasileira através de atitudes como a Agenda 21 e da legislação clara e explícita que começa no artigo 225 da Constituição Federal e continua na LEI nº 9.795, de 27 de abril de 1999 que estabelece a  POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, e no seu Artigo 13  contempla diretamente o ensino não-formal e em nível estadual a LEI  3.325/95 de 17 de dezembro de 1999, ambas embasadas na LEI 9.394 de 20 de dezembro de 1996 de Diretrizes e Bases , optamos por implementar esta nova filosofia de ensino ludo artística.

Uma das características principais do método e o fato de, sendo holístico ao igual que o próprio Meio Ambiente pretender desenvolver nos alunos participantes noções novas e definidas na sua relação com o PLANETA.TERRA.E.A.CIDADANIA.PLANETÁRIA. x. a. GLOBALIZAÇÃO.                                                                                                                                                                                 

Dentre os objetivos principais abordados pelo projeto destacam-se:

           1.  Exercitar o Direito de Cidadania.

2.      Relação do Homem com o PLANETA TERRA E A CIDADANIA PLANETÁRIA.

3.      CONCEITOS HOLÍSTICOS: objetivo e justificativa.

4.      Aplicação do Método EALA: Ensino Ludo-Artístico de Educação Ambiental.

5.       Relações intra-ambientais na Industria onde aplicado o Método EALA.

6.      Relação Ambiental da Empresa e seus funcionários com seu entorno imediato e mediato: LAR, BAIRRO, FABRICA - PLANETA TERRA.  

7.      Procurar entender, justificar e elaborar soluções para os problemas ambientais detectados.

8.      Temas a serem trabalhados pelos alunos a partir da sua relação direta com a Industria na qual trabalham x Comunidades vizinhas:

i.                   Uso do solo.

ii.                 Saneamento: água, lixo/aterros sanitários, esgoto, efluentes industriais.

iii.               Desmatamento x florestamento.

iv.               Poluições ambientais.

a.      Sonoras,

b.     Ar,

c.      Água,

d.     Solo,

e.      Outras.

v.               Atrativos culturais do local ligados ao Meio Ambiente e Ecologia.

vi.           Diagnostico dos recursos naturais no entorno imediato e mediato.

vii.         Conservação e recuperação dos recursos naturais.

viii.      Recursos hídricos.

ix.            Qualidade de vida:

a.   Problemas socioeconômicos;

b.   Reciclagem.

 x.              Fontes de trabalhos e/ou renda e/ou atividades típicas do lugar relacionadas ao Meio Ambiente: pesca, catadores de lixo, etc.

xi.            Parceria e integração com as Escolas locais.

xii.         Parceria e Integração com as Universidades locais.

xiii.       Integração com ONG’s ou Associações da Comunidade local.

xiv.     Agenda 21: estadual.

xv.        Agenda 21: municipal.

xvi.     Agenda Escolar

xvii.   Protetores da Vida (MMA)

xviii. Agenda Galpão das Artes

 


  A metodologia denominada EALA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL LUDO-ARTÍSTICA, foi testada em amostras constituídas por jovens hipossuficientes na Cidade do Rio de Janeiro nos períodos de julho a agosto de 1997, dezembro de 1999 e março a abril de 2000, e faz parte da dissertação de Mestrado em Gestão Ambiental defendida na Universidade Estácio de Sá em dezembro de 2000.

  As técnicas aplicadas são o resultado de uma integração entre a arte (pintura, representação e música) e atividades lúdicas dirigidas, como colagem e estímulo à aprendizagem através de experiências cognitivas.

  Este método tem demonstrado ser de fácil aplicabilidade, econômica e versátil, despertando nos jovens cidadãos ou não...! sentimentos e emoções latentes de respeito ao meio ambiente e a si próprios.